Beijos nas costas (+18)

Domingo sempre surge aquela carência, falta de beijo… Não sei se deveria começar esse texto, invadi-la sem um sorriso de aprovação.

Ela adorava beijos mas costas. A gente nunca sabe se é carinho, massagem ou uma forma de presentir a delícia quer e te comer todinha. Eu a olhava nos olhos e a chamava de putinha. Posso te chupar? Como se precisasse perguntar.. com a barba eu brincava por entre suas coxas e as mordia sem dó. Penso em como é bom sentir prazer com quem a gente confia. Aquela sensação de entrega que conquistamos em tão pouco tempo.

Tira a sua roupa, te doa feito louca e se liberta do seu antigo amor. Rir comigo, me pede beijo. Geme. Você sabe como eu gosto. Me chupa. Se lambuza, me deixa te sujar, de amor, de palavras e de suor… a gente veio pra suar e se preciso.. morrer na cama, so não vai embora sem dizer que não morreu comigo.

Ela queria ser juiz a. Ela me dizia isso com culpa por ser tão distinta no trabalho e na cama. Mas quem disse que ela não poderia ser juiza e minha putinha? As pessoa não são receitas, pode ter dias de tapa na cara ou beijo na testa. Ela é tudo o que ela quiser e a min so me resta apoiar, amar e sorrir, deixarei os julgamentos para os pobres de espíritos que preferem se limitar.

A gente é livre para voar entre a magia de um lencol e o rebolado daqueles que oh.. nem precisa colocar as mãos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s