escrevi

apaguei

escrevi

apaguei…

Sabe quando nem a gente sabe o que sente e tenta entender toda a confusão que sua mente se encontra?  Ultimamente tenho escutado muito como eu deveria ser, mas eu queria continuar sendo eu e não precisar lutar por um espaço. Nunca entendi a necessidade das outras pessoas de tentar tirar o que é seu de direito, e nunca aprendi a demarcar território e lutar ferozmente por ele. Eu simplesmente pego meu banquinho e saio de fininho porque talvez no fundo eu acredite que não mereça. Coincidentemente hoje ouvi de um superior que eu precisava falar mais alto e com firmeza e não deixar as pessoas me fazer acreditar que eu não tenho valor.  Porque eu tenho que lutar por um espaço onde eu não consigo sentir bem? eu queria só ter o luxo de poder desistir. Já ouvi que eu devo ser forte e persistente mas pq Deus me fez tão fraca?

Ela é ariana

Ela é uma doce confusão literalmente, nem ela entende a bagunça que vive dentro dela. Ainda não aprendeu a lidar com o amor, não é que ela tenha medo, ela ama devagar. Não se engane achando que ela não tem coração só porque não demostra as coisas por aí. Ela tem uma inquietação bonita no peito que faz ser amor sem precisar dizer.

Não venha com conversinhas e enrolação, ela gosta de certezas.  A casa dela não é visita pra entrar quem quiser, quando quer. A casa é dela e quem manda é ela.

Age por impulso e não se arrepende. é misteriosa porque não aceita ser desvendada.  Odeia se sentir presa a qualquer coisa, seja a alguém ou a algum lugar.

Não é nada meiga mas não nega carinho. Ela tem medo de receber algo exagerado sem sentir o mesmo e tem medo de se doar demais para alguém de menos, então ela precisa de alguém que cause nela o equilíbrio que precisa. Só que nunca vai admitir isso.

Ela é racional, na vida e no amor.Calculista e inconstante. faz pose de durona mas chora lendo poesias.

Ela é ariana. Mulher da cabeça quente, da teimosia, que não aceita perder. Tem um olhar que te convida a fazer coisas sem dizer uma palavra, é inútil tentar resistir.

Ao mesmo tempo que é ambiciosa e que planeja o futuro, quer aproveitar o presente e não ficar questionando o que vai ser daqui pra frente.

Ela é ariana, rapaz.

 

 

Carta para um amor que ainda não chegou

Não nos conhecemos ainda, eu sei. Por favor, não faça mau juízo  , já que quem vai direto ao ponto é mal interpretado. Complicar é muito mais simples e torna mais fácil justificar o porquê deu errado e nos eximir de qualquer culpa.

O que é dar errado? Se não ficamos pra sempre é porque deu errado? Acho tão limitado pensar assim. Prefiro pensar que se virou história é porque deu certo. E não importa se aconteceu por uma semana ou uma década, se trouxe boas gargalhadas a duração se torna coisa ínfima. Relacionar um fim a ideia de que não deu certo é transformar o passado em um grande equivoco, e acreditar de que nada de bom aconteceu.

O que quero te dizer é que tô um tanto cansada em sentar em uma mesa de bar e contar minha vida inteira enquanto tento conter minhas expectativas e desvendar os sentimentos alheios. Que dessa vez confesso que vou preferir saber o que te trouxe aqui e não sobre suas bandas favoritas. Com certeza ficarei mais feliz se pudermos ouvir algo junto enquanto divagamos sobre a vida.

Não preciso que pague a conta, mas queria muito que você pagasse pra ver o que pode ou não acontecer. Que se deixe ser real e esqueça o medo, porque se não deixarmos nos levar as vezes, nunca poderemos saber onde poderíamos ter chegado.

Talvez você estranhe minha sinceridade logo de cara, é que não quero participar do grupo de pessoas que preferem esconder o que querem e o que sentem só pra parecerem fortes, sendo que forte mesmo é totalmente o contrário disso.

Na verdade, não sei o que seremos se vamos poder conjugar esse verbo juntos, mas sei o que não quero que você seja: indiferente. Por isso, eu me disponho a fazer o que nunca faço, e ao invés de calar o que penso, te digo que se quis te conhecer é porque estou disposta e quero que você também esteja.

Espero que você queira conhecer além da superfície, ouvir mais do que meias verdades. Que possa abrir as portas de casas e as janelas da alma, que solidão com solidão não se soma, se anula e que é bom não se armar as vezes, o que é usado pra defender, te protege ao mesmo tempo que te esconde.

Que dessa vez seja eu. Que nosso passado não atrapalhe e que o futuro não nos assuste. Vamos viver o presente pra que nossa história não venha ser resumida ao um “e se”.

Que você escolha ser você e se deixe ser intenso enquanto durar. Que seja reciproco, que seja feliz.

Mesmo que o pra sempre possa acabar amanhã precisamos dar valor as chances de fazer diferente hoje.

Eu tô dentro e você?

 

 

Indefinidos

Estávamos bêbados de cerveja barata na calçada da sua rua e mesmo sem vento eu usava seu moletom verde. Cansada depois de um dia de trabalho debrucei em seu colo e fiquei fixa olhando a rachadura da calçada a nossa frente.

Você aproveitou esse frágil momento onde as verdades são ditas sem pudor e ao invés de perguntar sobre qualquer outra coisa banal, mandou na lata “por que você nunca escreveu sobre nós?” Fiquei muda e correr seria a opção mais viável. e quando estava pegando impulso felizmente alguém me chamou pra eu ir embora.

Acordei na manhã seguinte com  o fantasma da sua pergunta. Afinal, porque nunca escrevi sobre nós? Já escrevi sobre ex namorado, tempo, atual namorado, paixões platônicas e até signos. Mas eu nunca escrevi sobre você. E O que não falta é repertório. A começar pelo dia que nos conhecemos, você me convidou para dar um rolê e lá começou a recitar Drummond.

Fui pensando em todas nossa recordações e ai eu soube. É que toda boa história precisa de começo,meio e fim.  Mas nosso sinônimo é impreciso e nossa composição é incerta. Como se estivéssemos eternamente na calçada na duvida  entre correr, ficar, beijar ou amar.

Somos mais que paixão e menos que amor. Poderia dizer que somos luxuria, mas não dá, ao afirmar isso eu estaria anulando as conversas,  os dias que compartilhamos sem de fato nos encontrar. Me sobra afirmar que somos loucura. Um drama insano de dois despedaçados, dois que se gostam… Mas será que se gostam mesmo?

Então ai esta sua resposta meu bem. Simples e objetivamente nunca escrevi sobre nós porque é difícil para caralho rascunhar sobre algo tão incerto, e eu não ligo que sejamos essa corda bamba, acho nossa reticências extremamente poética. E no fim dentro do nosso amor que não é amor, da nossa paixão que não é só desejo seguimos juntos e as vezes separados, mas para sempre (ou não) condenados a viver esse sentimento inconcluso pagando a penitencia de sermos indefinidos.

Alice, a menina que não sabia dizer o que sentia.

Alice sempre foi de sorrir muito. Quando conversávamos ela sempre me falava que não sabia expressar o que sentia. soava como uma confissão, um pedido de ajuda. Supeito de que quem diz isso sofre, mesmo que não saiba.

Ela era medo de sentir a alegria que nunca sentiu. Alice era a vergonha de ser, uma conversa estreita entre o sentir e o orgulho de demostrar.  um medo tamanho mar-profundo, uma concha que de tão fechada ouvia todo mundo dizer que “menina durona”, mal sabiam que  ela sentia grande pavor em perder a pérola que havia dentro dela.

A Alice não conseguia descobrir como era divertido dizer. estar amando se tornava algo pequenininho perto da adrenalina de dizer ao outro que estava sendo amado. Assim ela perdeu muito tempo com medo. perdendo amores, sensações únicas, sorrisos por achar que sei lá, não sei, não consigo. e por fim se perdendo em saudades.

Ela sempre queria saber de tudo, sem querer falar nada. Eu te quero, fica comigo, estou com saudade – são palavras que soam como música aos ouvidos de quem vive conosco. uma pena alice não ter sabido disso. uma pena não ter tido coragem de enfrentar esse mundo de palavras ditas sem pudores e talvez ter em troca um sorriso de reciprocidade.

Sorria como a Alice. Mas não deixe de dizer aquilo que ela não conseguiu. Ela não sabe o que perdeu mesmo que ja tenha perdido tantas coisas.

Ah se ela soubesse como a vida se tornaria amarga depois das dores de não falar. Ah se ela soubesse que a vida passaria tão rápido e que o medo so passará quando ela enfrentar. Então Alice não adianta amar a saudade de um dia se o amor acontece agora.

vazio

-eu te amo! – bebi o café

-o amor é vazio… ele me respondeu

Apenas o observei.

-Se lembra do balão que te dei no parque? ele perguntou enquanto o café esfriava sem ninguém pra tomar.

-é como meu coração… concluiu.

– vazio! – suspirei

Ele tem alma livre, não se prende, não se apega, não preenche, e eu só conseguia pensar em respostas que não falaria para ele.

-também, e é por isso que ele flutua.o balão está sempre cheio! Não é por que não vemos que não haja algo ali. Meu amor é assim, parece um vazio, e eu estou sempre nas nuvens com você.