Diário: O tempo passa mas as paranoias não.

Alguém em sã consciência publicaria alguma página de seu diário pessoal? Bem.. Eu tinha uma amiga que por muita insistência deixou eu ler poucas e suficientes páginas para que fizesse sarro da cara dela por um bom tempo. Até um tempo atrás eu teria um surto psicótico se alguém ousasse aproximar do meu caderninho. Mas graças aos deuses o tempo passa e ganhamos a capacidade de rir das nossas próprias burradas e dramas.

Procurando uns livros antigos me deparei com meus caderninhos. Ahhh! meus caderninhos que viviam embaixo de sete chaves, agora estavam vivendo esquecidos em caixa velhas sem nenhuma importância. Não lembro quando eu parei de confessar meus sentimentos para folha de papel.  Agora bate certa angustia de não ter registrado tudo.  É uma experiencia única ver o quanto você mudou e amadureceu ou de como você não conseguiu evoluir nada.

Se eu pudesse dá um conselho pra vocês diria: escreva um diário.

20/12/13

Penso em todo sofrimento que já passei e isso me dá forças a não pegar o celular e discar o número dele. Ontem recebi uma mensagem do tal dito cujo me dizendo que sentia amor por mim ainda, e a minha vontade foi esquecer tudo de ruim e entregar novamente os meus mais puros sentimentos. Eu sei que nossas brigas prova que eu não sou o suficiente. Que eu já não tenho tanta boa vontade em dá o braço a torcer e  ser menos durona. Falta comprometimento. Não é fácil ter alguém ao lado 2 anos e apesar de tudo continuar fortalecendo o amor. A problemática dos defeitos e mágoas que no inicio é coisa banal toma proporções gigantescas. 

Quando eu penso no passado eu fico confusa quanto a minha decisão. A solidão, a carência toma conta de mim e eu fico frágil, porque eu não aprendi a amar. Eu não sei como é o amor, é do tipo incondicional que nada deve abalar ou deve ser priorizando o amor-próprio? Sinceramente não sei o que pensar.

Eu tentei esquecer tudo de ruim que aconteceu entre a gente, mas eu sempre acho que estou perdendo algo. Se eu voltar atrás vou dar o direito de viver as mesmas coisas, DE ACEITAR A VIVER TUDO DE NOVO. Ele não foi sincero, ficou em cima do muro. Quer me ter ainda com todos esses sentimentos ruins. Como pode alguém querer outro com toda essa negatividade? Isso é uma incógnita. Não entender toda a situação dói muito. 

Espero que me distanciar seja melhor para ambos e que eu não me arrependa. Eu quero me reconectar com meu eu. Ser feliz sozinha. Por que talvez seja isso que eu esteja precisando e ele também.

O passado diz tanta coisa sobre o presente.

Por que você tem um blog?

large (1)Os blogs agora são empresas. Não acho ruim, quem não quer trabalhar naquilo que gosta ? Porém, no meio de tanta grana pecamos em buscar incansavelmente por retorno financeiro. Nesse processo muitos blogueiros perdem a originalidade e acaba pegando como padrão a seguir aquele famosinho na internet. Não nego que já pensei nisso, “poxa! acho que meu blog está incompleto por não ter look do dia, resenhas de produtos e tudo mais”. Não, não preciso copiar nada de ninguém, o bacana de ter blog é colocar você nele. O intuito dos blogs deveriam ser compartilhar experiências e encontrar aquela pessoa que se identifica com as coisas que você escreve. E essa troca é enriquecedora para ambos, não esqueçamos disso jamais. Fico triste quando os blogueiros não consegue interagir com seu público, incapazes de trata-los como pessoas.

Fazer posts virou negocio, compartilha tendências e marcas. “Escrever muito é coisa do passado se quiser ser visto não faça isso, a internet é casa de preguiçoso”.Não podemos escrever um textão? Engano seu, podemos sim. O internauta ama ler e não gasta um tempo para ler um texto de 6 parágrafos? Ele prefere ver fotos de ostentação da blogueira top. Não há nada de errado nisso mas essa blogueira não é melhor do que uma de layout simples que escreve textos enormes. Ter um blog de sucesso nem sempre quer dizer ter conteúdo bom e sim ser um expositor de marca. É um absurdo ver gente fazendo de tudo para aparecer e ganhar grana. Mas me diga qual marca vai pagar para quem não é perfeita?

Espero sinceramente que os blogs inteligentes não percam sua essência e sua empolgação, que todo dia eu possa me deparar com textos bem redigidos e que o retorno financeiro seja apenas consequência de um trabalho realmente bom.

Ontem conheci um projeto incrível da Beatriz Aguiar: “O projeto em si é para pessoas como nós, que gostamos de blog-ar apenas por amor, mas que esperamos também aquele comentário “muitcho amô” dos nossos colegas de blogosfera e daqueles que sabemos que leem o post todo hahaha, como nós fazemos quando visitamos um blog amigo. E que também retribuímos o carinho mesmo sem nada em troca, que gostamos de ler, saber sobre a vida, ler posts inspiradores.
O grupo é mais para blogs pessoais, daqueles cheios de amor que os autores falam sobre o que gostam, sem pensar apenas em $$ e fama.
Afinal, ostentação na blogosfera é o que mais tem.
Com esse grupo, quero resgatar o sentido que é blogar por amor, que deveria ser o principal incentivo. Mas também para conhecermos novas pessoas que carregam este mesmo sentimento e espalhar amor por aí! O grupo e o Projeto ‘Existe amô na blogosfera, sim’ é pra incentivar os blogs pessoais a não desistirem”.

Se você tem um blog e pensa como a gente, abrace esse projeto. Para saber mais o grupo no facebook é esse Aqui.

Nossa busca incansável por alguém nunca vai dar certo

museu-de-coracoes-partidos-voce-visitaria-1-30-1306

Sou carente. Não adianta. Sou daquelas pessoas que sonham com programas clichês de casais, que precisam de aconchego. Que sente falta de carinho. Passei uma vida inteira tentando encontrar qual defeito fazia os homens se afastarem de mim. Minhas amigas iam encontrando amores e recebendo flores. Vendo isso, cada dia ficava mais deprimida me escondendo na frase mais clichê “homens são todos iguais”. Mais ninguém sabia que eu ainda procurava incansavelmente alguém, aquela fase de querer por querer. Quando tudo está propenso a desandar.

É quando a gente não procura mais alguém especial mas só alguém. Alguém para ser somente companhia. O problema nisso é que só tentamos preencher uma lacuna sem saber realmente o que é. Na hora do encontro é algo sem muita mágica, tentamos encaixar aquela pessoa superficialmente nas nossas expectativas. Entrevista vai, transa vem, gente saindo de casa de manhã e alguns jantares passam até percebemos que não tá rolando. E não tá por uma simples questão cósmica: não é a nossa vibe. Depois começa as cobranças emocionais para dar certo em uma coisa que no fundo sabíamos que era cilada.

Só agora percebi que encarava o amor como um tipo de seleção de currículos que os medianos eram escolhidos para preencher o meu ideal. “Não se mata desejo de comer pera com maça”. E nós temos uma tendência muito forte (e cultural) de achar que todos os nossos problemas serão resolvidos se formos amados e encontrarmos as pessoas da nossa vida. E acabamos agindo com desespero tentando encaixar círculo em quadrados reforçando ainda mais nossa carência. A busca do amor tem que ser leve e prazeroso. E amor que a gente caça acaba não sendo nada disso.

Paz

É muito mais fácil escrever sobre um amor que machuca. Colocamos todo sentimento toxico para fora e lá estamos nós criando teorias para explicar nossa realidade. Já percebi que quem escreve tem medo da felicidade. Parece que as inspirações não vem quando estamos em paz, é quase sempre deixar a folha em branco e não precisar definir coisa alguma.

Sem pistas e jogos, prometi. Não quero ter razão ou alimentar meu orgulho com a certeza de que eu sou a pessoa da relação que menos se envolveu até agora. Você derrubou o muro que criei em torno de mim. Chegou como não queria nada e me fez não ter mais medo da calmaria que o amor traz. O mundo pode está pelos avessos mas no fim do dia sempre damos um jeito de reservar um tempo onde só exista nós dois. Quando estamos juntos a tranquilidade é algo inexplicável. O seu toque é um antidoto contra todo estresse. Hoje eu não espero você vim, eu abro a porta e vou dançando no ritmo do vento.

Minha vida e minha sala são igualmente bagunçadas, como você já deve ter reparado, mas fiz questão de reservar um espaço especial pra você.

Nesse texto, ao meu lado e onde estivermos amanhã.

Um sonho sonhado junto é realidade

Passamos a vida inteira criando listas, seja de tarefas simples, listas de coisas incríveis que nunca saem do papel, lista do que queremos e lista do que precisamos evitar. Mas que tal fazer lista de sonhos?

Todo mundo tem sonhos a ser conquistado, seja passar em uma prova, ter um apartamento, viajar… Me sinto muito feliz em participar indiretamente nos planos de outras pessoas. Descobri que sonhar a dois é caminhar rumo a realidade como Raul seixas dizia. Ter um apoio mutuo é a ajuda que necessitamos para nunca pensar em desistir. Meus sonhos não seriam tão emocionantes se não tivesse alguém nos bastidores comemorando minhas realizações.

Hoje eu almejo muito mais do que quando mais jovem, talvez por saber que com esforço, os objetivos podem ser alcançados. Isso é outra visão que só o tempo traz. Para realizar os sonhos, é preciso força de vontade e pé no chão; pensando no futuro, mas vivendo um dia de cada vez. E o melhor é continuar sonhando, sempre correndo atrás daquilo que nos fará feliz.

obs:. Desculpa o sumiço, estou ticando a minha lista dos sonhos!

~ Ei, eu acredito em você~

O amor e outras coisas.

Quando nossos olhares se cruzam sentimos vontade de sorrir, ai pensamos em quão bom seria se o tempo congelasse tornando assim esses momentos duradouros o bastante. Nossas pupilas dilatam, o coração bate mais forte, a mente já sincronizada para capturar coisas no ar e nas entrelinhas. O rosto enrubesce.

Queremos sempre está junto, dando apoio, aconselhando, ouvindo, abraçando, encorajando. Ficamos perto em silencio ou no barulho. Os olhares dizem mais do que as próprias palavras. A confiança se estabeleceu. Existe admiração, companheirismo, respeito, vontade de ver o outro bem.

Tocar o outro, beijar, afagar causam sensações que nos torna enternecidos. Queremos seduzir, acalentar e cativar. Fazer com que o outro se sinta especial. Nessa troca de afeto surge a atração física. Queremos olhar mais perto, buscamos a proximidade plena com o universo do outro. Continuamos acariciando, sentindo a energia e o perfume. O padrão respiratório muda fazendo acordar muitas partes de nós. O desejo se torna maior. Procuramos por descobrir os mínimos detalhes e o encontro se faz intimo.

O toque desperta tranquilidade, paz e alegria. As nossas reações revelam o que o outro significa nesse encontro sensorial, mental, emocional e de almas. O amor tem dessas coisas, vira capítulos da vida recheados de prazer e emoção.