Saudade de quem eu fui

1375847_367997313333493_1780731949_n

Quando era bem novinha minha rotina era integralmente me dedicar a dança. Minha mãe era minha companheira – foi ela que assistia nossos mini shows em frente da tv. Foi ela que comprava os dvds para aprendermos todos os passos.

Nada se comparava aquela sensação de acertar uma coreografia e ter que ensinar a minha irmã. Eu não parava até chegar a exaustão. Era uma ansiedade tremenda e uma sensação excitante chegar em casa e deparar com novos ritmos para aprender. Verificava o molejo dos bailarinos, o acompanhava pra só assim conseguir acertar tudo que foi ensinado.

Depois que eu cresci, as responsabilidades foram aumentando. A dança foi deixada de lado para dá lugar a nova rotina. Por vezes tentei reviver aquela época, não conseguia passar horas assistindo aulas e mais aulas. Considerei que tava mesmo enferrujada.

E por vezes eu perguntava: Cadê aquele encanto?

Tirei a conclusão que na verdade sinto falta daquele excitante mundo colorido, da pureza de criança e do êxtase por pequenas novidades.

A lição que eu pude tirar: Será que em muitas situações confundimos sentir falta de alguém com saudade da nossas próprias sensações?

Sabe, eu acho, sim, que a saudade seja legítima. Mas também concordo que nem sempre ela é direcionada a outra pessoa! Às vezes, isso é mais sobre nós mesmos.

Eu não acho que posso afirmar que sinto falta de todos que já passaram por mim. Na verdade, eu tenho saudade é de quem eu fui, daquela que eu era ao lado de cada um. Como uma criança que cresceu e já não vê mais a mesma graça em dançar com uma pequena plateia (minha mãe) e se achar a Joelma, mas que gostaria muito de trazer para hoje aquele mesmo encanto puro e singelo da sensação de um nova dança aprendida.

Confira alguns outros posts sobre Um sobrenome chamado saudade do projeto Vai um café:

Texto da Aline Molleri do blog Hipermetropia

Texto da Silva Souza do blog Reflexões e angústias 

Texto da Bruna do blog Divergências vitais

Texto da pitaquinha do Blog Pitacos e achados

Texto da Liley do blog Liley Carla 

Texto do Gustavo Roubert 

Texto da Letícia do blog Os benefícios de beber café 

Post da Lari Reis do blog Yellow ever shine

Texto Ana Camina

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n